0

Transgênero brilha no 4º dia da São Paulo Fashion Week

26 out 2016
23h17
  • separator
  • comentários

O quarto dia da São Paulo Fashion Week celebrou em grande estilo a filosofia que impulsionou os conceitos de 'transformação, transição e transgressão' da 42ª edição do evento, este ano chamado de 'SPFWTrans42'.

O ponto alto do dia foi o desfile de modelos transgênero que brilharam na coleção estilista Ronaldo Fraga, quem reuniu o público no Theatro Dom Pedro.

Fraga apresentou uma coleção de releitura da moda mais glamourosa dos anos 20, 30 e 40, composta sempre pelo mesmo vestido, com o propósito de assinalar que a história do desfile não estava focada nas roupas, mas nas modelos que as vestiam.

Em um desdobramento de ousadia, orgulho e graça sutil, 28 modelos transexuais e travestis desfilaram com as criaçõs de Fraga, que em entrevista à imprensa ressaltou que "a história do desfile era a da moda libertando o corpo aprisionado".

Com este princípio, o estilista conseguiu que todas as modelos se apresentassem em roupa interior em um impactante final. Para Fraga, a moda é magia, e "o que vai libertar é a primeira saia, o primeiro batom, a primeira sandália, é o que justifica a existência da moda".

"Ronaldo teve coragem e foi criativo o suficiente para ter essa ousadia necessária. Então é importantíssimo. Se eu já gostava dele, agora estou apaixonado por ele", destacou Patrick, que desfilou para o estilista.

O dia também contou com a nova coleção de inverno Iódice, que, inspirada na Índia e com aroma de punk, conseguiu misturar os estilos com a tradição e a transgressão.

Esses conceitos foram apresentados na passarela sob a ousadia chique da mulher Iódice, mas de maneira mais misteriosa, com sobreposições e cortes mais amplos como os vestidos midi em seda e veludo e um magnífico trabalho em lã e crochê.

A grife Água de Coco reuniu admiradores e fashionistas no espaço e aproveitou o jardim para apresentar uma sofisticada coleção de roupa de banho, com modelos de renome como Carol Trentini, Isabeli Fontana e Marlon Texeira.

A passarela esteve repleta de flores e referências tropicais que contrastaram com os cortes esportivos de biquinis e as aplicações de neoprene em saias e tops.

O pavilhão Arena, o principal do evento situado no Parque Ibirapuera, recebeu nesta tarde Vitorino Campos - também estilista da Animale -, que apresentou sua marca homônima com roupa casual e baseada no 'sem gênero', de inspiração minimalista focada nas cores preto e branco, predominantes nesta edição.

O quarto dia tem como encerramento as coleções de banho de Amir Slama e a sempre esperada Osklen, que apresentará uma proposta em tons terra, grená e verde.

A São Paulo Fashion Week terminará na sexta-feira, após seis dias carregados de propostas apresentadas pelos principais estilistas e marcas do país.

EFE   

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade