0
Logo do SPFW
Foto: terra

SPFW

SPFW divulga programação de desfiles; veja grifes e horários

7 mar 2013
13h11
atualizado em 12/3/2013 às 16h00
  • separator
  • comentários

Foi divulgada, nesta quinta-feira (7), a programação completa com as grifes participantes.da edição de verão 2013/2014 do São Paulo Fashion Week, que acontece de 18 a 22 de março no prédio da Bienal, na capital paulista.

<p>Candice Swanepoel foi destaque da Colcci na última edição</p>
Candice Swanepoel foi destaque da Colcci na última edição
Foto: Edson Lopes Jr. / Terra

Esta edição de verão, concebida por Humberto e Fernando Campana, consolida a mudança do calendário iniciada no final do ano passado, que permite um melhor planejamento e gestão dos negócios na moda. Confira, abaixo, a programação completa.

Data Hora Desfile
Segunda-feira (18/3)
17h
18h30
20h
21h30
Animale
Cori
Tufi Duek
Cavalera
Terça-feira (19/3)
12h
15h30
17h
19h30
21h
Adriana Degreas
Acquastudio por Esther Bauman
Ronaldo Fraga
Forum
Ellus
Quarta-feira (20/3)
11h
15h
16h
18h
20h
21h30
FH por Fause Haten
Fernanda Yamamoto
João Pimenta
Água de Coco por Liana Thomaz
Neon
Triton
Quinta-feira (21/3)
15h
16h
17h30
18h30
20h
21h30
Alexandre Herchcovitch
Amapô
Juliana Jabour
Osklen
Samuel Cirnansck
Colcci
Sexta-feira (22/3)
17h
18h30
20h
21h30
Uma por Raquel Davidowicz
Têca por Helô Rocha
R. Rosner
Lino Villaventura

Ronaldo Fraga, Cavalera, Água de Coco, Forum e Ellus são alguns dos destaques do evento. Já as marcas Reinaldo Lourenço, Iódice, Paula Raia, Movimento e Jefferson Kulig, que apresentaram suas coleções de verão no evento de 2013, estão fora do line-up divulgado nesta quinta. Segundo a assessoria da Iódice, é provável que a marca pise em passarelas cariocas nesta temporada, já que a Iódice abre sua primeira loja no Rio de Janeiro.

Depois de uma versão reduzida na edição de inverno, o line-up do São Paulo Fashion Week volta ao normal. Confira o perfil dos participantes desta edição do SPFW.

Foto: Ricardo Matsukawa / Terra

Animale
Uma das cinco maiores empresas do Brasil, a Animale foi fundada em 1991, no Rio de Janeiro, pelos irmãos Roberto, Claudia e Gisella Jatahy. Por sete anos, Raquel Zimmermann, ícone número 6 no ranking das modelos, foi top exclusiva da grife no país. A modelo e atriz inglesa Rosie Huntington-Whiteley também protagonizou o papel de mulher símbolo da marca. Hoje, quem está à frente da campanha de verão 2013 é a modelo francesa Constance Jablonski. No São Paulo Fashion Week, a marca desfila a linha Concept assinada pela estilista Priscilla Darolt. A empresa produz atualmente mais de 800 mil peças ao ano.

Cori
A Cori foi fundada em 1957, como uma alfaiataria chamada 3P. Foi uma das precursoras do fabricação de calças compridas femininas no Brasil, nos anos 60. Sempre foi sinônimo de roupa elegante para a mulher executiva. Em 1980, inaugurou sua primeira loja própria. Participa do São Paulo Fashion Week desde 2003. Em 2002, Alexandre Herchcovitch assumiu o estilo da marca, permanecendo por algumas temporadas. A Cori pulou as duas últimas temporadas de 2012 (verão, em junho, e inverno, em outubro). A coleção de outono 2012, desfilada em janeiro do ano passado, foi a última assinada por Giselle Nasser. O retorno da marca leva a assinatura da nova estilista, Taciana Menezes.

Foto: Divulgação

Tufi Duek
A marca que leva o nome do estilista Tufi Duek ganhou vida em 2007, lançada dentro de um processo de reestruturação das linhas criadas por ele, que também é fundador da Forum e da Triton. Na época, o estilista decidiu separar sua coleção jeanswear das peças mais exclusivas e lançou a etiqueta. Em março de 2008, o Grupo AMC Têxtil adquiriu as quatro marcas assinadas por Tufi Duek, que no ano seguinte deixou a empresa, sendo substituído por Eduardo Pombal (foto), seu assistente de longa data. A marca estreou no SPFW em junho de 2007.

Foto: Divulgação

Cavalera
A Cavalera foi fundada em 1995, após a união de Alberto Hiar, que já tinha as marcas Surf Combat e Vision, e do ex-baterista da banda Sepultura Iggor Cavaleira, com sua vivência entre roqueiros e usuários de streetwear. A ideia era criar uma marca de moda que traduzisse a linguagem urbana. Música, arte, cultura pop e a cidade de São Paulo se apresentaram como ponto de partida para a marca e continuam inspirando a Cavalera até hoje. A capital paulista é mais que referência para as coleções da grife. Minhocão, rio Tietê, Galeria do Rock, Estação da Luz já foram palcos dos desfiles. O rock’n’roll mantém-se no DNA da marca.

Foto: Divulgação

Adriana Degreas
A marca Adriana Degreas estreou no São Paulo Fashion Week em 2011. A grife existe desde 2001 e foi criada com a proposta de trazer uma moda praia luxuosa e sofisticada. Essa ideia ficou evidente já em sua apresentação de estreia, que foi inspirada em divas de cinema dos anos 1930 e teve Eva Herzigova e Shirley Mallmann. Já em 2012, a grife levou Sonia Braga à passarela, que fez uma performance ao som de Tigresa, de Caetano Veloso. O interesse de Adriana pelo mundo da moda nasceu ainda durante a infância, pois seu avô era proprietário de uma tecelagem, enquanto a avó possuía um antiquário recheado de roupas assinadas por grandes nomes.

Foto: Divulgação

Acquastudio
A grife comandada pela estilista Esther Bauman foi fundada há 20 anos e dedica-se exclusivamente à criação de vestidos de festa, seja prêt-à-porter ou sob medida. O ateliê traz uma proposta inovadora: abrir às clientes a possibilidade de conhecer o processo de desenvolvimento de uma peça, desde a modelagem, corte e costura, até a sua finalização. A Acquastudio desfilou em várias temporadas no Fashion Rio e em 2013 passa a fazer parte do SPFW.

Foto: Divulgação

Ronaldo Fraga
O mineiro Rodrigo Fraga, aclamado como o estilista “cult” e uma das referências de moda nacional por valorizar técnicas de artesanatos regionais e sempre contar uma história em seus desfiles, lançou sua marca no extinto Phytoervas Fashion, em 1996. O estilista passou a integrar a Casa de Criadores em 1998 e, em 2001, se transferiu para o São Paulo Fashion Week. O desfile de estreia foi “Rute - Salomão”, história de amor fictícia entre um judeu ortodoxo e uma cristã. Na edição seguinte, a grife desfilou uma de suas coleções memoráveis, “Quem matou Zuzu Angel”, em homenagem à estilista morta durante a ditadura militar. O estilista pulou apenas a edição de inverno 2012 para terminar um livro.

Foto: Divulgação
Forum

Após seis anos de ausência, a Forum voltou ao São Paulo Fashion Week no de verão 2013, sob a coordenação de estilo de Marta Ciribelli. Criada em 1981, a marca transformou-se em referência do jeanswear brasileiro e passou a ganhar o mundo no final da década de 1990, quando o seu fundador Tufi Duek iniciou o processo de internacionalização, com seu nome na etiqueta. Em 2008, as marcas do estilista foram vendidas para o grupo AMC Têxtil. Nas duas últimas coleções apresentadas, a Forum manteve-se fiel ao seu estilo de colocar referências nacionais em suas roupas, com estampas de frutas tropicais e de locais brasileiros. Em 2002, a grife chegou a fazer um desfile chamado Carnaval, com cenografia de Joãzinho Trinta. A apresentação da marca no SPFW também já serviu de plano de fundo para cenas com Malu Mader e Fabio Assunção, protagonistas da novela Celebridades .

Foto: Divulgação
Ellus

Uma das mais tradicionais marcas de jeans do país, a Ellus foi criada em 1972 por Nelson Alvarenga e ainda mantém forte ligação com o universo jeanswear. A diretora de criação Adriana Bozon comanda um time de estilistas, com destaque para Rodolfo Souza (foto), que assina as coleções do desfile há seis temporadas. Cindy Crawford, Milla Jovovich, Alek Wek e Kate Moss já foram garotas-propagandas da marca. Em 2008, a Ellus foi incorporada à holding Inbrands, que tem Nelson Alvarenga como parte do conselho. O grupo ainda possui as marcas de Alexandre Herchcovitch e é dono também dos eventos São Paulo Fashion Week e Fashion Rio.

Foto: Leo Franco / AgNews

FH por Fause Haten
A grife FH existe desde 2008, após o estilista Fause Haten ter vendido a marca que elevava seu nome para o grupo I’M (Identidade de Moda), do qual seria o diretor de estilo. A parceria não deu certo e após se afastar do negócio, o estilista fez o desfile de verão de 2009 com uma coleção independente, lançando a FH. Fause, porém, é conhecido na moda brasileira desde 1987, quando criou sua primeira grife, a Der Haten. Em 1997, mudou o nome para Fause Haten.

Foto: AgNews

Fernanda Yamamoto
A estilista Fernanda Yamamoto lançou sua marca própria em 2008, sempre trabalhando com elaborados processos artesanais, matérias nobres e modelagem minimalista. Estreou no São Paulo Fashion Week em junho de 2010, mas já tinha participado do prêmio Rio Moda Hype. Fernanda é formada em administração pela FGV-SP, com pós-graduação em Direção de Moda pela Faap, além de ter feito curso na área na Parsons de Nova York. Em 2011, apresentou suas coleções na semana de moda de Tóquio e no Chile.

Foto: Ricardo Matsukawa / Terra

João Pimenta

Desde 2003, o estilista mineiro João Pimenta assina sua própria marca. Participou da Casa de Criadores por seis edições e estreou no SPFW na temporada verão 2011. Desde então, se apresentou em todas as edições seguintes. Sua coleção é masculina, mas foge do tradicional em termos de modelagem e ousa ao mostrar peças diferenciadas, como saias e túnicas masculinas, por exemplo, e peças de alfaiataria impecáveis.

Foto: Divulgação

Água de Coco
A grife de moda praia Água de Coco foi criada em 1985 por Liana Thomaz, em Fortaleza. Entre as principais características, estão peças de modelagem amplas e confortáveis, mas nem por isso menos ousadas. No desfile de verão 2012/2013, em junho do ano passado, a proprietária da marca desfilou um modelo feito com fios de ouro, que custava R$ 1 mil na época. A grife estreou no SPFW em 2002 e só participa das temporadas de verão.

Neon

Foto: Divulgação

Os paulistanos Dudu Bertholini, stylist, e Rita Comparato, modelista, colegas da época de faculdade de moda, desenvolveram em 2003 alguns maiôs para um editorial de moda fotografado por J. R. Duran. A partir daí, surgiu a Neon. Os amigos já trabalharam para marcas consagradas, como Triton, Zapping e Cori, mas gostaram tanto da experiência que iniciaram uma pequena produção, totalmente artesanal e despretensiosa. Depois de alguns desfiles menores e no AmniHotSpot veio o convite para participar do São Paulo Fashion Week outono-inverno em 2005. Embora suas primeiras coleções tenham sido marcadas pela moda praia, a Neon investe em roupas e acessórios para uma mulher sofisticada e de personalidade, com estampas emblemáticas, recortes ousados e influência étnica.

Foto: Divulgação

Triton
A primeira grife criada por Tufi Duek foi fundada em 1975 como uma marca de camisetas. A estilista Karen Fuke, que trabalhava há nove anos na empresa, assumiu a direção criativa da marca em 2007, para a coleção verão 2008. A Triton estreou nas passarelas do SPFW em 1996, quando o evento ainda era chamado Morumbi Fashion. Já teve em suas passarelas Gisele Bündchen e a it-girl americana Paris Hilton.

Foto: Milene Cardoso / AgNews

Alexandre Herchcovitch
Em 1994, o estilista Alexandre Herchcovitch realizou seu primeiro desfile para o Phytoervas Fashion. Drag queens e personagens da noite paulistana foram seus primeiros clientes. Desde 1996, a grife desfila no SPFW, quando ainda se chamava Morumbi Fashion, e nunca pulou nenhuma temporada. Na última, mais enxuta para acomodar o calendário brasileiro, não apresentou o desfile masculino. Em 2007, o estilista se associou ao grupo I'M, o mesmo que havia comprado a Zoomp. O negócio não se concretizou e, em agosto de 2008, Alexandre vendeu a grife para a InBrands. Em junho de 2011, o estilista estreou no Fashion Rio com a marca de jeans que leva apenas seu sobrenome.

Foto: AgNews

Amapô
A Amapô existe desde 2004, quando Carolina Gold e Pitty Taliani se uniram para criar a primeira coleção da marca. As peças começaram a ser vendidas em lojas de multimarcas, o que garantiu visibilidade ao trabalho e tornou a Amapô reconhecida. As estampas e construções diferenciadas marcam o estilo da grife. Em abril de 2005, a marca entrou no AmniHotSpot, evento organizado e idealizado por Paulo Borges, para apresentar novos estilistas à mídia e ao mercado da moda. Em janeiro de 2008, a Amapô realizou seu primeiro desfile, inverno 2008, no São Paulo Fashion Week. A grife não desfilou na última edição.

Foto: Divulgação

Juliana Jabour
Criada em 2004 com a proposta de dar nova forma ao uso de tecidos tradicionais, como viscolycra, gaze, moletom e plush, a grife Juliana Jabour se destaca por unir conforto e design em peças coloridas e estampadas. Depois de nove anos no exterior, Juliana Jabour voltou ao Brasil em 1997 e trabalhou na Vide Bula, Triton, M.Officer, Zion e Mob. Em 2004, criou a sua própria marca. As peças de malha fizeram sucesso e Juliana foi convidada pela Casa dos Criadores. Por duas edições participou do evento para então desembarcar no Fashion Rio. Após 10 edições no evento carioca, a estilista migrou para o SPFW.

Foto: Getty Images

Osklen
Em 2012, a grife anunciou a venda de parte da empresa para a Alpargatas, que detém a marca Havaianas e é controlada pelo grupo Camargo Corrêa, na transação mais cara já firmada com uma empresa de moda brasileira até hoje. Conhecida por suas roupas com DNA ligado a esportes diversos e materiais tecnológicos, alternativos e sustentáveis, a grife foi lançada em 1989, pelo médico Oskar Metsavaht (foto), que começou a desenvolver peças para prática de esportes na neve. A linha feminina foi lançada em 1999. Na última edição do SPFW, fez uma apresentação para um público restrito e depois de estrear em setembro do ano passado nas passarelas de Nova York, pulou a última edição, em fevereiro. Participa do SPFW desde 2003.

Foto: Getty Images

Samuel Cirnansck
O estilista Samuel Cirnansck, cuja grife foi fundada em 1999, começou vendendo peças exclusivas no Mercado Mundo Mix. Depois, ele passou a fornecer peças para a loja Doc Dog e, nessa mesma época, desfilou na semana de moda Casa dos Criadores. Após duas estações, foi convidado por Paulo Borges a fazer parte do grupo de novos estilistas no Amni Hot Spot. O primeiro desfile no SPFW foi em janeiro de 2005. Hoje é um dos estilistas brasileiros mais conceituados no ramo de noivas e festas.

Foto: AgNews

Colcci
Lila Colzani criou a Colcci em 1996 com dinheiro que ganhou na Loteria. Em 2000, a grife foi adquirida pelo grupo AMC Têxtil, que hoje também possui marcas Forum, Tufi Duek e Triton. A criadora deixou a marca, uma das mais importantes de moda jovem do país em 2006, quando a estilista Jessica Lengyel assumiu o estilo. A dupla de estilistas Jeziel Moraes e Adriana Zucco (foto) assinam a direção de estilo atualmente. Desde junho de 2008, a Colcci integra o line-up do São Paulo Fashion Week. Pelas passarelas da grife já passaram nomes como Gisele Bündchen, Alessandra Ambrosio, Izabel Goulart e o ator Ashton Kutcher.

Foto: Divulgação

Uma por Raquel Davidowicz
A grife Uma, do casal Roberto e Raquel Davidowicz, surgiu em 1995, com o objetivo de misturar a sofisticação da alfaiataria e o despojamento do sportswear. As roupas são para uma mulher urbana e moderna, independentemente da idade. A grife estreou no SPFW em 2003, parou por um tempo e voltou em 2007, quando desfilou até a de verão 2010. Passou a integrar novamente o line-up para apresentar o inverno 2012.

Foto: Divulgação

Têca por Helô Rocha
A grife foi fundada em 2005 por Helô Rocha e logo passou a chamar a atenção de celebridades. A marca estreou nas passarelas com o desfile da coleção de verão 2008 no Fashion Rio, onde se apresentou por sete edições seguidas. Passou a desfilar em São Paulo, na temporada verão 2013, realizada em junho de 2012. Nascida em Natal, no Rio Grande do Norte, a estilista mistura estampas, trabalhos artesanais e referências atuais na moda em suas peças.

Foto: Ricardo Matsukawa / Terra

R. Rosner
A grife R. Rosner estreou em janeiro de 2012 no SPFW, após desfilar desde 2009 na Casa de Criadores, onde se apresentou por sete edições consecutivas. Suas criações estão associadas a festas, refinamento e sofisticação. O estilista assina também uma linha de camisetas. Rodrigo Rosner é formado em administração pela Faap, em São Paulo, e começou no ramo da moda na fábrica herdada pelos seus pais em 1995: o atelier Parisiense, fundado por sua avó, Lili Rosner. Em 2007, o estilista virou consultor de moda e, um ano depois, lançou a R. Rosner.

Foto: AgNews

Lino Villaventura
Lino Villaventura é natural do Pará e começou sua carreira no fim da década de 1970. Apenas em 1982, abriu loja em Fortaleza com seu nome, em parceria com a mulher, Inez. É reconhecido até internacionalmente por usar referências regionais misturadas a construções elaboradas, como a da alta-costura. Tem um estilo único, de looks dramáticos, sempre finalizados com enfeites na cabeça. Trabalhos de nervura sobre tecidos e cor preta são duas das marcas registradas do estilista. Seu primeiro desfile no evento foi em 1996.

Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade