1 evento ao vivo

Estilista é criticada por declarações pós desfile

Stella McCartney lançou coleção que exalta a fragilidade feminina e disse que mulheres fortes 'não são tão atraentes'

30 set 2014
17h47
atualizado às 17h47
  • separator
  • comentários

Stella McCartney está na mira dos grupos feministas. Durante a apresentação de sua mais recente coleção na semana de moda de Paris, nesta segunda-feira (29), a estilista disse que desenhou roupas que exaltassem a fragilidade feminina porque mulheres fortes “não são muito atraentes”. O comentário gerou críticas das ativistas de plantão e também nas redes sociais, até porque o desfile foi assistido por mulheres poderosas, que em nada se encaixam ao conceito de ‘suavidade’ proposto pela filha do ex-Beatle, como a editora-chefe da revista Vogue, Anna Wintour.

Foto: AP

Siga Terra Estilo no Twitter

Stella estava no backstage, após o desfile, quando disse: “Força por conta própria em uma mulher é bastante agressivo e não muito atraente o tempo todo. Por isso, esta coleção é realmente para celebrar o lado gentil”.

Depois do discurso, uma das editoras da revista Vagenda postou no Twitter que a observação era, no mínimo, “estranha”. E alfinetou: “Imagino que as mulheres que têm dinheiro para comprar suas roupas não são nada tímidas”.

A escritora Sasha Wilkins, criadora do blog de estilo de vida LibertyLondonGirl, por sua vez, twittou: “Acho que você pode ir longe fingindo ser uma borboleta frágil nos negócios quando já tem uma família rica e todo o poder”.

Já Ellie Levenson, autora do guia The Noughtie Girl’s Guide to Feminism, disse ao jornal The Times que a tentativa da estilista de fazer as mulheres parecerem mais vulneráveis representa um passo para trás na história do movimento: “É particularmente irritante quando uma mulher que se beneficiou do feminismo e do fato de ser forte e poderosa tenta, em seguida, puxar o tapete de outras mulheres.”

A historiadora e feminista Mary Beard, professora de clássicos da Universidade de Cambridge, também declarou que Stella, por ter patrimônio avaliado em 46 milhões de libras (mais de R$ 180 milhões), poderia ter ao menos tentado expressar algo mais complexo sobre a natureza da força. “Força bruta não é igual a poder”, lembrou ela.

A coleção de Stella foi apresentada na passarela da casa de ópera Palais Garnier, que tem capacidade para 2 mil espectadores, no centro de Paris.

Cara Delevingne foi uma das modelos que mais chamou atenção vestindo uma capa preta decorada com flores cinzentas. A proposta da coleção era de oferecer roupas que permitam movimentos sem esforço e dêem fluidez ao visual. 

As peças causaram ainda mais polêmica nas redes sociais depois que Stella postou foto no Instagram, nesta manhã, de uma modelo vestindo uma camiseta estilo “podrinha”, que pode ser comprada nas lojas por £ 70 (R$ 280). Como a top oriental que usava a peça era exageradamente magra, com aparência frágil, os usuários compartilharam a foto questionando suas condições de saúde. Um dos comentários no post diz: “Imagem terrível... Esta jovem é claramente muito doente e o seu corpo reflete tudo o que há de errado no mundo da moda”. Vários usuários, depois de verem a imagem, também disseram que vão deixar de seguir a estilista no Instagram. A foto foi retirada do ar poucas horas depois.

Foto: AP

Foto: AP

Explicações de Stella McCartney após o desfile na semana de moda de Paris desencadearam uma avalanche de críticas por parte de movimentos feministas

Foto: Pascal Le Segretain / Getty Images

Cara Delevingne foi uma das modelos que mais chamou atenção vestindo uma capa preta decorada com flores cinzentas

Foto: Pascal Le Segretain / Getty Images

Peças leves e com tecidos fluidos vieram com a proposta de enaltecer o conceito de sexo frágil

Foto: Pascal Le Segretain / Getty Images

Foto: Pascal Le Segretain / Getty Images

Foto: Pascal Le Segretain / Getty Images

Foto: Pascal Le Segretain / Getty Images

Mulheres influentes assistiram ao desfile, como a atriz mexicana Salma Hayek, indicada ao Oscar por sua atuação no filme Frida; e Marie-Josee Croze, que recebeu o prêmio de melhor atriz no Festival de Cannes por seu trabalho em As Invasões Bárbaras

Foto: Pascal Le Segretain / Getty Images

Lista de espectadoras poderosas também incluiu a editora-chefe da revista Vogue, Anna Wintour

Fotos: Pascal Le Segretain/Getty Images

Fonte: Ponto a Ponto Ideias Ponto a Ponto Ideias

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade