Tendências: Londres propõe primavera estampada e colorida

Rosângela Espinossi
atualizado às 17h35
  • separator
  •  
  • comentários

A primavera-verão 2013 prometida pelos desfiles de Londres entra firme e forte nas estampas, nas cores e na mistura disso tudo num mesmo look. Da última sexta-feira (14) até terça-feira (17), os desfiles na capital inglesa apostaram em desenhos variados, que podem ir dos florais aos manchados, passando por listras, xadrezes, paisagens, folhagens, geométricos, grafismos e estampas de lenços. Tudo ao mesmo tempo, agora, em um patchwork de tendências.

A semana de moda de Londres apresentou um verdadeiro patchwork de tendências
A semana de moda de Londres apresentou um verdadeiro patchwork de tendências
Foto: Getty Images

Desenhos
Sim, se for para escolher apenas uma tendência das passarelas de Londres, dá para apostar nas estampas, de todos os tons e formatos, que apareceram separadas ou juntas, em uma mesma peça ou em peças diferentes, mas em uma só produção. A mistura de padronagens é forte e pôde ser vista também com tecidos, cores, formando imagens geométricas. As estampas digitais imperam e imprimem exuberância às peças.

Tons
Quando o assunto são as cores, estão lá as candy colors, que vieram para ficar, em vestidos, jaquetas, calças, shorts, saias, blusas e até casacos leves. Mas as tonalidades aparecem também mais acesas. Quente ou mais apagada, as cartelas vão do amarelo, coral e azul até verde, lilás, bege, vermelho, magenta... E, claro, preto e branco, juntos, separados ou formando grafismos como vistos em Nova York.

Duplas de peças
Os conjuntinhos, sim, parecem que realmente vieram para ficar por muito tempo: valem os terninhos - com calça, bermuda ou shorts, e casacos, jaquetas ou blazers -, além dos vestidos com jaquetinhas ou casacos de várias alturas.

Detalhes
Aplicações nas peças, dando impressão de relevo ou 3D, tecidos metalizados, babados, peplum, assimetria e sobreposições garantem um ar não convencional à maioria das propostas.

Peças
Camisas, calças, bermudas, shorts e vestidos longos (sim, muitos) ou pelo joelho se repetiram nas passarelas, assim como tench-coats, jaquetas e casaquinhos.

Silhueta
As propostas seguem duas linhas principais: os anos 1950, com saias mais amplas e volumosas, e peças mais justas, mas não muito rentes, ou mais fluidos com corte que alonga a silhueta, verticalidade por vezes quebrada pelos babados e desenhos em profusão. Os casacos também seguem a linha reta, fazendo com que a mulher fique mais longilínea.

Ponto a Ponto Ideias

compartilhe

comente

  •  
  • comentários
publicidade
publicidade