Fashion Rio Inverno 2010

Moda » Fashion Rio » Inverno » Fashion Rio Inverno 2010 » Fashion Rio Inverno 2010

 Militar e reluzente, o inverno começa a mostrar a cara
13 de janeiro de 2010 23h51

Comentários
 




 Foto: Carlos Zambrotti/AgNews

Verdinho básico de Nica Kessler
Foto: Carlos Zambrotti/AgNews

Rosângela Espinossi
Direto do Rio de Janeiro
Já sabe o que vai ser usado no inverno 2010? Então comece a preparar espaço para algumas novidades, ainda que não tantas e não tão diferentes. Quer uma cor, então aposte então em verde, marrom, azul, alguns bordôs... Quer brilhar? Vai de pedrarias e lurex. Quer estampas? Aposte nas abstratas, com pegada camuflada. Quer mais? Então leia abaixo um resuminho do que foi visto nesses seis dias de Fashion Rio:

Verdinho básico?
Pois é, tem gente garantindo que o verde, referência ao estilo militar, vai substituir o preto. Ops.: preto é preto e pronto. Tem verde sim, muito, mas o preto também (não mais onipresente como nos últimos desfiles de inverno), mas também dá para apostar no marrom (muito explorado), no azul-Bic ou mais escuro; no vermelhjo, que também deriva para o bordô; violáceos, sempre em tons profundos. E em tonalidades mais suaves ou alegres, rosa e amarelo-fluo e algumas esmaecidas.

Gente é pra brilhar:
A volta dos tecidos com lurex é uma das novidades da estação. De repente, muita gente começou a usar de forma mais clássica do que nos brilhantes anos 70, da era disco, mas a tendência promete. O fio metalizado surge em tricôs, em pequenas linhas entre riscas ou em peças inteiras lisas. E não só na versão dourada e prata, mas também em várias cores, como as citadas acima, e nas mais variadas peças: até mesmo forrando botas.

Exposição de arte:
A maioria das estampas nos remetem a quadros abstratos, tamanha a profusão de traços, manchas e sobreposições de cores e desenhos, formando imagens camufladas (e o camufaldo de verdade também). Os muito vistos desenhos botânicos de verão (flores, pétalas, plantas, folhas) ainda permanecem, mas ganham a companhia também de optical e xadrezes, muitas vezes sobrepostos, num patchwork estampado.

Quanto mais purpurina melhor:
O brilho não para por aí. Pedrarias em geral, canutilhos, cristais, laminados e até espelhos dividem os espaço com o Lurex. E por vezes, andam juntos. São ricos bordados ou apenas alguns detalhes. Podem vir no dorso, nas mangas, na barra ou em peças inteiras. Aí, nesses casos, o melhor é não exagerar nos acessórios, mesmo porque a roupa já se transforma em um, tão relizente que está. Podem vir no punho, no barrado, em faixas, em detalhes, na frente, atrás. Onde a imaginação pedir.

Esquenta geral:
Claro, é inverno, ainda que os desfiles sejam sob um infernal calor. E os tricôs, à mão ou à máquina, chegam para aquecer os friorentos. Podem ser justos, misturados a elastanos, amplos e aconchegantes, em pontos enormes. E vêm em vestidos, blusas e até em calças e bermudas. Aposte, aposte, aposte. E também nas peles artificiais, claro, em tempo politicamente correto.

Meia volta, volver:
Sem trocadilho, o estilo militar está bombando para o inverno. Mas nada muito over, a não ser em alguns camuflados explícitos, como na Coven . As referências militares chegam também nos trenchcoats, nos fundamentos de algumas peças de alfaiataria, até para mulheres, nas cores, principalmente verde e marrom, nos bolsos e nas peças utilitárias. E também nos ombros, com as chamadas dragonas (a aba virada, ou com franjas) das fardas, dando uma certa altura e imponência. E também nas peças com a barra franzidinha, muito vista nas coleções de moda street.

Vestidos etc. Você quer usar longo ou curto?
Sem problema. As peças da estação não vêm com todo aquele trabalho de arquitetura que se viu no verão, nem tão drapeadas, plissadas, pregueadas, tipos deusas gregas, a não ser pelo que apresentou Victor Dzenk. Tem sim um drapeado aqui outro ali, mas há os vestidos, por exemplo, mais soltos, em tecidos leves. Muito estilo tulipa ainda (seco em cima e abaulado no bumbum, mantendo a tendência de evidenciar os quadris). Para complementar o look, jaquetinhas. Nos ombros, mantêm-se leves ombreiras ou alguns exageros. E sim, há muitos curtos, que ganham a companhia de botas até as coxas e meias. Mas se quiser longo, fique à vontade. E também se é do estilo romântica, valem lacinho, babados e estampas delicadas, em tecidos como cetim (mais uma vez o brilho). Mas tem também aqueles justos. E as saias também ganham volumes arredondados, a maioria.

Pernas para que te quero:
Bermudas, calças largonas (overpantalona), tipo cenoura (sim elas continuam), larguinhas, mas sem exageros ou até mesmo skinny são bem-vindas. Mas se a opção for por curtos, valem leggings desenhadas (ainda), de látex (como mostrou Juliana Jabour), e meias também estampadinhas ou com detalhes. O saruel começa a dar tchauzinho.

Só no sapatinho:
Se não tem ainda sua ankle boot, corra já para a loja. Não, não adianta, as coleções de inverno só aportam daqui uns meses. Mas vá se preparando. Elas vêm nas versões românticas, com lacinhos, ou com estilo pesadão, para seguir os estilo roqueiro. Tachas, redes, faixas enfeitam os modelos, na maioria das vezes, pretos. E sempre no saltão, com um palataforma na frente. Ok: tem também os mais baixinhos e até anabelas. Escarpins altos, coloridos ou não também valem. E os modelos Oxford continuam. Valem ainda botas até as coxas, para combinar com os vestidos curtos.

Especial para Terra