Moda

publicidade
12 de agosto de 2011 • 14h48 • atualizado às 15h23

Dia da juventude: veja a mudança da moda ao longo dos anos

Ao longo das décadas, a moda mudou e o estilo dos jovens também
Foto: Divulgação/TV Globo / Getty Images
 

A moda entre os jovens se transformou com o passar dos anos, representando as alterações de cada tempo e cada geração. Geralmente, as tendências são apresentadas pelos ídolos dos jovens, que acabam copiando os modelistos usados.

Na década de 50, com o surgimento do rock 'n' roll, os jovens passaram a usar trajes que os permitiam dançar com conforto. Para elas, saias rodadas e camisetas. Para eles, ternos ajustados ou jeans e camiseta. Ídolos como James Dean, com seu jeans surrado, camiseta branca e jaqueta de couro, e Elvis Presley e Audrey Hepburn, com seu visual romântico e delicado, eram os ícones da época.

Os anos 60 revolucionaram a moda e os jovens, claro, foram os primeiros a aderir às novidades. No início da década, as roupas eram retas, com traços geométricos. Jane Fonda, no filme Barbarella, levou para as ruas peças um pouco mais ousadas. Neste período, surgiu também o brilho e o vinil, que passaram a fazer parte de alguns trajes de maneira discreta, mas deixando as peças com ares futuristas. Mary Quant inventou a minissaia, que era realmente pequena e media 30cm, revolucionando a moda. A peça era usada com camisetas e botas.

A Guerra do Vietnã aconteceu entre os anos de 1959 e 1975. E a transição entre os anos 60 e 70 ficou marcada pelo surgimento do movimento hippie, que defendia o fim da guerra e a manutenção da paz. Jovens de todo o mundo deixaram os cabelos crescer e passaram a usar calça boca de sino, saias longas, camisetas, coletes, diversos colares longos, alpargatas, faixas e flores nos cabelos e roupas artesanais de couro, camurça e crochê, além de peças tingidas no estilo tie-dye.

No fim da década de 70 e no início dos anos 80, a moda jovem foi tomada pela inspiração punk inglesa, que trazia trajes de couro e tachinhas metalizadas. Os cabelos coloridos e o penteado moicano também fizeram, literalmente, a cabeça de muita gente. A discoteca marcou a época, com os trajes ajustados, ainda com boca de sino, e muito lurex dando brilho aos modelitos. No Brasil, a moda era usar meias de lurex com sandálias de plástico, como pregava a novela Dancing Days.

Nos anos 80, houve muita mistura: os jovens usavam jeans de cintura alta e modelagem ampla (a famosa calça baggy), camisetas compridas, ombreiras, peças coloridas, além de mesclarem rendas, sobreposições, polainas etc. Madonna, Cindy Lauper, Michael Jackson, entre outros, eram os ídolos mundialmente conhecidos. No Brasil, Xuxa lançou a moda da overboot, que atualmente voltou à moda.

Os anos 90 foram marcados pela influência da música na moda, mais uma vez. O grunge passou a ser sucesso e jovens de todo o mundo adotaram o visual, usando camisas xadrezes por cima de camisetas com logotipo de bandas, calças largas, estilo skatista e um ar "desleixado-arrumadinho". Para elas, baby look e calças de cintura baixa fizeram sucesso, além do tênis Keds, que foram combinados a saias, calças e bermudas.

A primeira década de 2000 foi marcada pelo uso de calças de cintura baixíssima e, no Brasil, pelo funk, que passou a ser sucesso nas rádios. Trajes justos, marcando o corpo foram o hit da década, sem perder o conforto.

Ainda seguindo os ídolos, os jovens de atualmente não têm medo de ousar e brincam com as cores, em tendência conhecida como color blocking, usada pela banda Restart e como marcou a passagem de Fiuk pela novela Malhação, em 2010. Shorts com meia-calça, renda, xadrez e vestidos curtos são vistos pelas meninas nas baladas.

Terra Terra