PUBLICIDADE

Chanel faria 130 anos: veja criações que atravessam as décadas

19 ago 2013 17h33
| atualizado às 17h38
ver comentários
Publicidade
<p>Coco Chanel foi responsável por divulgar um estilo que privilegiava o conforto, a funcionalidade e a praticidade</p>
Coco Chanel foi responsável por divulgar um estilo que privilegiava o conforto, a funcionalidade e a praticidade
Foto: Getty Images

Falar que um produto é da marca Chanel remete imediatamente à ideia de sofisticação, elegância atemporal e qualidade. A grife francesa é também sinônimo de luxo. Mas esse era um conceito que não passava pela cabeça da estilista Gabrielle Chanel, nascida há exatos 130 anos, no dia 19 de agosto de 1883.

Coco Chanel foi responsável por divulgar um estilo que privilegiava o conforto, a funcionalidade e a praticidade, conceitos em alta até hoje. Entre suas criações, estão os conjuntos de jérsei, tecido mais molinho do que os rígidos usados na época, os sapatos bicolores e o famoso perfume Chanel nº 5. A seguir, confira os principais fatos da sua carreira e algumas criações que viraram ícones de todos os tempos.

- O ano de 1909 marca o início da carreira como estilista, pois é quando ela se estabelece em Paris e começa a criação e venda de chapéus, sua primeira ocupação na moda.

- Em plena Primeira Guerra Mundial, em 1916, Chanel propôs tailleur de jérsei, tecido mais leve, inspirado na roupa masculina. O modelo de duas peças já era usado pelas mulheres desde o final do século 19, e não foi Chanel que o inventou. Ela foi a divulgadora do uso das duas peças.

- Em 1921, foi lançado o mais emblemático perfume de todos os tempos: o Chanel nº 5. Foi primeiro perfume de mademoiselle Coco Chanel. O perfumista Ernest Beaux criou algumas fragrâncias numeradas. E conta-se que Chanel escolheu a número 5, daí o nome. Foi lançado dia 5 de maio.

- O número 5 era místico para Chanel, tanto que também lançou sua icônica bolsa matelassada e de alças em 1955. O modelo chama-se 2.55 (referência ao mês, fevereiro, e ao ano de lançamento).

- Chanel, já conhecida e respeitada na moda, criou o seu famoso petite robe noire, ou seja, seu “pretinho”, de corte sóbrio e forma simples, tornando-se um clássico da moda feminina, em 1926. Esse tipo de roupa seria um coringa no guarda-roupa de qualquer mulher, pois serviria tanto para festa quanto para velório. Ainda hoje, as mulheres costumam ter seus respectivos pretinhos, que no Brasil é conhecido como “pretinho básico”.

- Coco Chanel também foi responsável pela popularização do uso do blazer pelas mulheres. Significa um paletó que não acompanha calça do mesmo tecido. Popularizou-se no começo do século 20 na moda masculina e logo passou a ser usado pelas mulheres, a partir de criações de Coco Chanel.

- Entre os acessórios usados pela estilista, havia quase sempre uma Camélia. Originária do Oriente, a flor estava em alta em meados do século 19. O primeiro registro é o de uma blusa com bordados em forma de Camélia. Depois ganhou colares, relógios, chapéus, virou adorno para os cabelos, detalhes nas roupas ou broches.

- Outro ícone criado pela estilista Coco Chanel, as camisas brancas eram usadas como roupa de baixo no século 19 e foram ganhando espaço na moda masculina. Nos anos 1920, Chanel passa a usar o item, combinado com outras peças simples. Desde então a peça serviu para completar looks de inúmeras tendências, como "à la garçonne", depois da Primeira Guerra Mundial, no figurino de esrelas de cinema, como Katharine Hepburn e após a Segunda Guerra Mundial, com mais mulheres entrando no mercado de trabalho.

- O cardigã básico também entra no rol de criações da francesa. O nome vem de Major General James Thomas Brudenell, conhecido como Conde de Cardigan, da Inglaterra, que teria usado uma peça feita de malha após uma batalha, em 1854. Mas novamente, quem popularizou a peça no guarda-roupa feminino foi Coco Chanel, que tirou as golas dos paletós e criou as peças em tecidos mais molengas.

- Itens indispensáveis nos looks de Gabrielle Chanel, acessórios feitos com pérolas, de preferência de muitas voltas, estão associados à imagem de elegância atemporal plasmada pela estilista.

- Mais um ícone vindo das criações de Coco Chanel, o modelo aberto nos calcanhares foi encomendado a um artesão e segundo a estilista, as alças finas  e perfeitamente ajustadas atrás iriam dar mais liberdade de movimento às mulheres. O primeiro modelo criado era bege com a ponta preta, inspirada nos calçados esportivos usados pelos homens da época. O recurso ajudava a disfarçar a sujeira.

- O tailleur passa a fazer parte do guarda-roupa feminino no século 19, por volta de 1880. Sua criação é atribuída ao inglês John Redfern, costureiro britânico radicado em Paris e em Londres. Mas antes da história da moda já havia registros de conjuntos feitos de paletó e saia. O tailleur como conhecemos hoje começa a ganhar formas apenas durante a Primeira Guerra Mundial, (1914-1919), já que a escassez de tecidos fez com que as saias ficassem mais enxutas e depois mais curtas. Até então eram usadas saias longas, de tecidos pesados e com armações. Chanel também ajudou na popularização do conjunto e seus modelos de tweed se transformaram em uma de suas marcas registradas.

 

 

Fonte: Ponto a Ponto Ideias Ponto a Ponto Ideias
Publicidade
Publicidade